ANPEd Sudeste fortalece a resistência democrática com ampla e qualificada participação na Unicamp

Evento de pós-graduação e pesquisa em Educação do Sudeste contou com 817 inscritos e 361 trabalhos aprovados; próximo encontro da região, em 2020, será realizado no Rio de Janeiro

reportagem: João Marcos Veiga

imagens e vídeos: Camilla Shaw e João Marcos Veiga/ANPEd

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) recebeu entre os dias 15 e 18 de julho a ANPEd Sudeste 2018. As atividades se concentraram no Centro de Convenções e Faculdade de Educação da instituição, que é considerada a melhor universidade brasileira. Mas os quatro dias de encontro mostraram que a Unicamp vai muito além da valorização de rankings internacionais, de forma alinhada ao próprio tema que norteou as atividades e ao espírito de pesquisadores, professores e estudantes ali presentes: "em defesa da educação pública, laica e gratuita - políticas e resistências".

Num período de crise econômica e agravamento de questões sociais pós-golpe de 2016, a ANPEd Sudeste contou com grande e qualificada participação - foram 817 inscritos, com 525 trabalhos submetidos e 361 aprovados nos 23 GTs. Coordenadora do encontro, Mara Regina Jacomeli salientou na solenidade de abertura a responsabilidade da realização de um evento deste porte na região onde está concentrada a maior parte dos programas de pós-graduação em educação do Brasil, mas igualmente com debates que buscam reflexões e proposições para desafios nacionais. "O encontro abarca os debates teóricos, mas também um olhar sobre práticas de questões que envolvem a educação pública no Brasil, como ela se dá na forma de políticas, suas resistências. Mais oportuno do que nunca discutir o tema no contexto atual". Esse também foi o mote da fala de Dermeval Saviani, que proferiu a conferência de abertura do encontro, e da homenagem a Paulo Freire, que contou com a presença da deputada federal Luiza Erondina - a parlamentar nomeou o professor como seu secretário de educação quando foi prefeita de São Paulo (1988-1992) e é autora da lei que o reconheceu como patrono da Educação brasileira.

A ANPEd Sudeste foi a primeira das cinco regionais que a Associação promoverá ao longo de 2018, fortalecendo a pesquisa e a educação pública no país em diálogo com os programas locais no ano em que a entidade completa quatro décadas, como salientou a presidente da Associação, Andréa Gouveia, também na abertura do evento.

  • A próxima regional será no Sul, de 23 a 26 de julho em Porto Alegre, e a última em João Pessoa/PB, com submissões abertas até 20 de agosto para a ANPEd Nordeste.

A dinâmica do encontro no Sudeste promoveu ao longo das manhãs mesas em torno de temas como avaliação, financiamento, ética na pesquisa, mercantilização do ensino, produção e internacionalização, sexualidade e gênero, reformas do Ensino Médio e BNCC, onda neoconservadora e precarização, movimentos sociais e cotidiano escolar - todas elas contando com qualificados pesquisadores de instituições de toda a região. Já pela tarde, as apresentações nos GTs traziam pesquisas em andamento e finalizadas que mostravam a qualidade e pluralidade de tais investigações nas mais diferentes frentes, como trabalho docente, juventude no campo e gênero. Ana Gomes (Unirio) levou ao GT 21 reflexões sobre questões étnico-raciais conduzidas no Rio de Janeiro. "Nós queremos fortalecer o Grupo de Trabalho no sentido de valorizar um referencial teórico adequado às questões étnico-raciais para além de uma bibliografia eurocêntrica", defendeu.

Integrante da coordenação local, a professora Nima Spigolon (Unicamp) também salienta a forma com que a pauta político-pedagógica da ANPEd se reflete na própria estrutura a organização do encontro, destacando para isso o envolvimento de 28 monitores da universidade e o uso de bolsas artesanais, com o kit do evento, feitas com reaproveitamento de materiais por mulheres integrantes de uma rede de economia solidária - pensamento ecológico em sintonia com uma programação interativa totalmente disponibilizada através de aplicativo exclusivo do evento. "São tantas mentes, mãos e corações que lutam por um mundo mais justo, por uma educação mais justa e, com certeza, processos formativos humanos, de formar gente, que é a missão principal de uma faculdade de educação".  

O novo representante da Educação na Capes, Robert Verhime, chegou a afirmar em entrevista à ANPEd sua predileção pelos encontros regionais, que permitem conhecer a realidade da pós-graduação de forma mais aprofundada e, sobretudo, com tempo mais estendido a debates e encontros entre os pesquisadores. Em reunião final de balanço e avaliação, a ANPEd Sudeste foi amplamente elogiada por participantes e coordenadores de GTs, pela organização e postura humana de todos os envolvidos. Na ocasião, o FORPREd Sudeste também elegeu o Rio de Janeiro como sede do próximo encontro da região, em 2020.

A ANPEd Sudeste contou com cobertura da Comunicação Nacional da Associação.

Clique aqui e acesse as fotos do encontro

Clique aqui e acesse os videos do encontro

Leia Também

Institucional

Posicionamentos da ANPEd

Institucional

Institucional

Educação

Institucional

Institucional

Posicionamentos da ANPEd