Entidades científicas reafirmam posição contrária à fusão CNPq e Capes

“Qualquer extinção/fusão/incorporação dessas agências será prejudicial e lesiva ao funcionamento do Sistema Nacional de CT&I”, alertam 47 entidades acadêmicas, científicas e tecnológicas de todo o País, signatárias de carta entregue a parlamentares no dia 2 de outubro. Presidente da SBPC, Ildeu de Castro Moreira, afirma que agências devem continuar independentes e complementares, como têm sido ao longo das últimas seis décadas

Declarações do ministro Marcos Pontes, da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), sobre reestruturações no CNPq, fortaleceram os rumores de que discussões internas sobre uma possível fusão do CNPq com a Capes, agência do Ministério da Educação, já estariam avançadas em setores do governo, em particular por sugestão do MEC. Em entrevista publicada nesta quarta-feira no Correio Braziliense, Pontes falou sobre os desafios de cobrir o pagamento das bolsas nos próximos meses – ainda não é certo de onde virá a verba, segundo ele – e disse que o Ministério busca soluções para “fazer o bem”, com relação aos 80 mil pesquisadores mantidos pelo órgão. E afirmou que caso haja mesmo uma fusão, o ideal é que a nova agência, por afinidade, fique sob a guarda do MCTIC.

“A junção do CNPq com a Capes não faz muito sentido, exceto na parte econômica. E, se houver a necessidade de juntar os dois, o local ideal é dentro do Ministério que trabalha com pesquisa e desenvolvimento, que é a finalidade dessas bolsas”, declarou o ministro.

A comunidade científica já vem alertando sobre os riscos e prejuízos da possível junção das agências de fomento, nesse tsunami de desmantelamento do Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia. Em carta entregue em mãos nos gabinetes dos 80 parlamentares da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) há uma semana, por ocasião da Marcha pela Ciência no Congresso Nacional, realizada no dia 2 de outubro, as oito entidades que compõem a Iniciativa para Ciência e Tecnologia no Parlamento (ICTP.br), apoiadas por mais de 40 entidades científicas, acadêmicas e tecnológicas de todo o País, reafirmaram formalmente o posicionamento contrário à fusão ou extinção das agências brasileiras de apoio e fomento à pesquisa.

“Em todos os países desenvolvidos existem múltiplas agências governamentais para o apoio à pesquisa científica e tecnológica. Reafirmamos a importância da manutenção das três agências de fomento federais, CNPq, Finep e Capes, e com recursos compatíveis com suas atribuições. Qualquer extinção/fusão/incorporação dessas agências será prejudicial e lesiva ao funcionamento do Sistema Nacional de CT&I”, destacam no documento (veja aqui a carta na íntegra). A carta também foi enviada a todos os senadores e deputados do Congresso Nacional.

O presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Ildeu de Castro Moreira, afirma que os argumentos em favor à fusão das agências de fomento não convencem. Ele reitera que a entidade é contrária a qualquer possibilidade de integrar esses órgãos, independente de qualquer que seja o Ministério que as abrigaria. Posicionamento compartilhado pelas instituições acadêmicas e científicas de todas as áreas no País. “Elas têm diferentes objetivos, diferentes finalidades. Há mais de seis décadas, vêm apoiando e fomentando as pesquisas, a formação de recursos humanos qualificados, o desenvolvimento científico e tecnológico, cada uma com suas funções próprias, e com muito sucesso. O aprimoramento é sempre importante e bem vindo, mas Capes e CNPq devem continuar independentes e complementares, como sempre foram”, ressalta Moreira.

Além da preocupação com a Capes e o CNPq, Moreira lembra que a Finep e o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) que ela gerencia também estão em risco de extinção ou transferência para o BNDES ou Ministério da Economia (ME). Na carta, as entidades também pedem o fim da Reserva de Contingência do FNDCT, por se configurar em um uso de recursos que se desvia da finalidade para a qual foram recolhidos de setores econômicos, o fomento à P&D.

As seguintes entidades estiveram presentes à manifestação e apoiam a carta:

Academia Brasileira de Ciências – ABC

Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação – ABIPTI

Associação Brasileira de Antropologia – ABA

Associação Brasileira de Ciência Política – ABCP

Associação Brasileira de Ciências Farmacêuticas – ABCF

Associação Brasileira de Cristalografia – ABCR

Associação Brasileira de Educação Musical – ABEM

Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo – SBPJOR

Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional – ABRAPEE

Associação de Pós-Graduandos – APG

Associação dos Servidores do CNPq – ASCON

Associação Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia – FORTEC

Associação Latino- Americana de Investigadores de Comunicação – ALAIC

Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores – ANPROTEC

Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciências Sociais – ANPOCS

Associação Nacional de Pós-Graduandos – ANPG

Associação Nacional Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior – ANDIFES

Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação – COMPÓS

Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica – CONFIES

Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa – CONFAP

Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica – CONIF

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA

Federação Brasileira das Associações Científicas e Acadêmicas da Comunicação – SOCICOM

Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituição Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico – PROIFES

Financiadora de Estudos e Projetos – FINEP

Fundação Coordenação de Projetos, Pesquisas e Estudos Tecnológicos – COPPETEC

Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ

Laboratório Nacional de Computação Científica – LNCC

Sindicato dos Professores das Instituições Federais do Ensino Superior de Belo Horizonte – APUBH

Sociedade Brasileira de Computação – SBC

Sociedade Brasileira de Estudos Clássicos – SBEC

Sociedade Brasileira de Física – SBF

Sociedade Brasileira de Física Médica – ABFM

Sociedade Brasileira de Genética – SBG

Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia – SBGg

Sociedade Brasileira de Ictiologia – SBI

Sociedade Brasileira de Imunologia – SBI

Sociedade Brasileira de Micro-Ondas e Optoeletrônica – SBMO

Sociedade Brasileira de Protozoologia – SBPZ

Sociedade Brasileira de Psicologia – SBP

Sociedade Brasileira de Sociologia – SBS

Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência – SBPC

União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura – ULEPICC-Brasil

Universidade de Brasília – UnB

Universidade Estadual de São Paulo – USP

Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO

Via Jornal da Ciência

Leia Também

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Institucional

Posicionamentos da ANPEd

Institucional

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Educação