Nota de Pesar e de defesa da educação pública, da democracia e do direito a lutar pelos próprios direitos

A ANPEd lamenta profundamente a morte do estudante Lucas Eduardo ocorrida no dia de ontem (24.10.2016) numa das escolas ocupadas do estado do Paraná. A fatalidade de uma morte de um jovem é sempre desoladora. Nossos sentimentos à família de Lucas. O acontecimento triste não pode confundir a violência das grandes cidades com a luta por direitos! Dessa forma, repudiamos veementemente os usos políticos que tentam dar ao falecimento do estudante. As ocupações são legítimas e as investigações policiais já apontam que a referida morte foi motivada por desentendimentos não relacionados com a ocupação da escola.

A despeito da irresponsabilidade da grande mídia em não noticiar os fatos que não querem repercutir, o país vive neste momento um grande movimento de ocupações legítimas de escolas e universidades em defesa de direitos.

Esta é luta contra o arbítrio da Medida Provisória – MP746/16 – que altera a LDB e reforma o ensino médio e também contra a PEC 241 que destrói o PNE e o conjunto das políticas públicas deste país.

Reafirmamos a defesa das políticas sociais, da educação pública e da livre manifestação do dissenso.

A responsabilidade de uma escalada de violência que se expressa em movimentos de desocupação que tem usado da força, de ameaças ao servidores públicos, aos professores e aos estudantes é de governos estaduais que não têm sabido lidar com os protestos e do governo federal que tem violentamente imposto uma agenda negativa para a população. Reformar o ensino médio sem ouvir os estudantes e professores é uma forma de violência simbólica. Ameaçar com a não realização do ENEM em escolas ocupadas e exigir que diretores de institutos federais denunciem estudantes que ocupam suas escolas em protesto, tal como fez recentemente o Ministro da Educação, é governar intimidando. Desconsiderar todas as manifestações da população contra a PEC 241 também é violência.

Assim, é preciso chamar a responsabilidade do Ministro da Educação e do conjunto de autoridades públicas para que o impasse diante das ocupações de escolas e universidades seja superado com diálogo.  É isto que o movimento legítimo e nacional de ocupações exige!

Não à violência! Não à PEC 241! Não à reforma autoritária do ensino médio.

Todo nosso apoio às ocupações pacíficas nas escolas de ensino médio, nas universidade e ruas deste país.

Diretoria da ANPEd

25 de Outubro de 2016.

Pular para o conteúdo