Antonia Iris Pereira da Silva | UNIT-SE | Professora da Educação Básica

                                                                                                                  Antonia Iris Pereira da Silva | UNIT – SE
                                                                      Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas, Gestão Socioeducacional e Formação de Professores

 

A qual pesquisa você está vinculado(a) e o que é desenvolvida nela?

Sou Antonia Iris Pereira da Silva, professora de inglês da rede básica de ensino. Sou bolsista TRANSEJA/OBEDUC/UNIT/CAPES. O projeto Transeja 2 tem como meta atuar na formação de professores com foco na linha de pesquisa em educação. Nesse projeto desenvolvo oficinas de Direitos Humanos e oficina na Literacia em língua inglesa.

Esse foi seu primeiro envolvimento com pesquisa? Já tinha interesse anteriormente em desenvolver algo como isso?

Não é a primeira vez que trabalho com pesquisa. Eu fiz parte do PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência) na Universidade Federal de Sergipe-UFS como supervisora dos trabalhos desenvolvidos na sala de aula da rede básica de ensino. Não imaginava em participar dos projetos, mas sempre estive envolvida em atividades relacionada a educação e já fui voluntária e outros anterior a esse.

Como foi o trabalho na prática? O que foi mais estimulante e também mais difícil?

Na prática foram desenvolvidas oficinas de Direitos Humanos e oficina em Literacia de Língua Inglesa para os professores, o qual o de Direitos Humanos se concretizou em um mini curso de 20h no congresso internacional de formação de professores (ENFOPIE). O desafio foi criar uma oficina cujo os direitos foram discutido através da declaração dos direitos humanos, sob um ponto de vista social e igualitário que buscamos ser atuantes no quadro de problemas que vivemos hoje. O mais interessante foi a aprendizagem pessoal que pude adquirir tanto na minha vida pessoal como social.

Você considera que o meio de trabalho no qual está inserido(a) estimula a prática de pesquisa? Caso não, quais são os maiores desafios?

Não estimula. Porque nossa classe não é valorizada e estudar para ser um pesquisador em meio a contradições sociais é difícil. O desafio é aplicar de fato todas abordagens que adquirimos com os estudos. A teoria exerce um papel muito magnífico, pois, as palavras nos papéis estão distantes da realidade das salas de aulas. As práticas são desenvolvidas por meios de problemas sociais e administrativo que afetam a evolução da aprendizagem.

Qual a importância de estar envolvido numa pesquisa? A partir desse trabalho que integrou, no que a pesquisa pode contribuir para a melhoria da escola e para o entendimento do que se passa no dia a dia de professores, estudantes e funcionários?

É importante para o desenvolvimento pessoal e profissional, pois ajuda e facilita o trabalho na sala de aula, através das leituras e práticas aplicadas. O ambiente escolar vem sofrendo muito com a evolução com novas tecnologias e que às vezes não consegue acompanhar o desenvolvimento e a evolução da aprendizagem. A escola é um conjunto de pessoas que se atribui a professores, estudantes e funcionários, que chamamos de comunidade escolar e a falta desses nas atividades escolar ocasiona transtorno na execução das tarefas. Tudo pode contribuir na melhoria da mesma, contanto que todos façam sua parte e os ensinamentos sejam de fato exercidos.

 

Pular para o conteúdo