Programa de Pós-Graduação em História da UFF aprova implementação de cotas

                                                 

O Colegiado do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense (UFF) aprovou nesta última terça-feira (6) o estabelecimento de cotas para negros, pardos, indígenas e pessoas com deficiência no Edital de Seleção 2017. 

Na reunião em que a comunicação da ANPEd esteve presente, professores a favor expuseram que a implementação de Ações Afirmativas nos PPGs revela uma grande evolução e possui um importante significado tendo em vista o atual momento político do país, no qual os direitos sociais passam por um momento de fragilidade. Consideraram também que além de possuir um significado político, a implementação é uma tendência jurídica que vem desde a lei de 2012, que tornou constitucional o sistema de cotas para graduação.

A medida será adotada já no próximo concurso de seleção com base na reserva de 20% do total das vagas, autodeclaração racial e nota de corte.

Ao lado da aprovação das cotas, os professores decidiram discutir a política de distribuição de bolsas em conjunto, pois para eles é importante pensar na garantia de permanência do estudante. De acordo com a política aprovada, a cada três bolsas, uma será destinada aos ingressantes cotistas.

Pular para o conteúdo