Resultado de submissões de trabalhos para a 40ª Reunião Nacional

Aumento de quase 50% no número de trabalhos da 40ª Reunião Nacional reflete interlocução entre instâncias para ampliação e qualificação das pesquisas na área

Foi publicado neste domingo (1) o resultado das submissões de trabalhos (resumos expandidos, pôsteres e minicursos) para a 40ª Reunião Nacional da ANPEd. A informação fica disponível unicamente na Área do Associado após login (minha conta>eventos>consultar resultado). O período de recursos estará aberto entre os dias 02 e 04 de agosto (informações disponíveis no edital). Autores com textos aprovados deverão efetuar o pagamento da inscrição até o dia 26 de agosto.

Minicursos – Pessoas inscritas no evento já podem se inscrever em até dois minicursos, via Área do Associado, até o dia 30 de agosto – saiba mais.

Painéis Temáticos – O evento está com submissões abertas para proposição de Painéis Temáticos até 09 de agosto. Atente-se às regras e participe.

Este ano a Associação ampliou de 23 para até 40 os trabalhos aprovados por Grupo de Trabalho, atendendo a uma demanda de coordenadores e integrantes destes espaços. Tal mudança impactou no planejamento de avaliação, organização e transmissão de todas as apresentações. 

“Com isso, um significativo acolhimento das pesquisas finalizadas e em desenvolvimento, bem como de ensaios adequados às normas e critérios de submissão, foi oportunizado”, explica Alexandra Garcia, coordenadora do Comitê Científico. Segundo a professora da UERJ e integrante do GT 12, espera-se que essa ampliação possa enriquecer o debate nas diferentes áreas e temáticas em cada GT e também contribuir com o desenvolvimento das pesquisas e reflexões na Educação de forma mais ampla.

Até o momento, a 40ª contará com a apresentação de 694 artigos em comunicação oral), representando um crescimento de 43% em relação ao último evento – o número ainda poderá ser maior após o encerramento do período de recursos. 

Este crescimento reflete uma maior diálogo entre as diferentes instâncias da ANPEd, com o intuito comum de fortalecer e reconhecer o papel da produção dos associados na Reunião Nacional. Junto a painéis temáticos e minicursos, concretiza-se uma política de ampliação de pautas e espaços de qualificação das pesquisas, formação e representação das pessoas associadas.

O período de pandemia trouxe grandes dificuldades à gestão da Associação, mas igualmente aprendizados em vários níveis, num esforço de interlocução para a construção de um evento online inédito, com qualidade de transmissão e procedimentos técnicos em prol da exigência acadêmica conferida a um evento que completa quarenta edições.

Segundo Alexandra Garcia, o debate entre pares em si é um fator fundamental no desenvolvimento dos estudos e avanços nos conhecimentos produzidos acerca de temas, metodologias e abordagens em qualquer área científica. Assim, as reuniões da ANPEd e o processo avaliativo que ocorre entre pares com vistas a cada reunião oportuniza esse movimento na Área de Educação. “Tudo isso confere ao processo um caráter formativo singular, que diferentemente de outros eventos importantes e que também contribuem com a área, consiste no respeito às diferentes abordagens, linhas teóricas e metodológicas e na conformação de um panorama das investigações e conhecimentos produzidos em cada GT.” Para a coordenadora do Comitê Científico, o procedimento ainda favorece as redes entre pesquisadores e a produção de outros conhecimentos a partir dessa mobilização e das trocas propiciadas pelo processo, desde a avaliação até as sessões dos GTs e a circulação dos textos nos anais e e-books.

Entenda o processo de avaliação de trabalhos para a Reunião Nacional

por Alexandra Garcia (UERJ – GT 12) – coordenadora do Comitê Científico

A avaliação dos textos submetidos para a 40ª Reunião da ANPEd segue a sistemática de avaliação adotada pela associação há muitos anos. Todo texto submetido como Trabalho, que esse ano passou a ser em formato de resumo expandido-trabalho, passa por duas etapas de avaliação, sendo que na primeira ele é apreciado por dois avaliadores da seguinte forma: um parecerista ad hoc do GT para o qual o resumo expandido-trabalho foi submetido; um membro do Comitê Científico pertencente à subárea da qual o GT de destino da submissão faz parte, mas diferente desse GT.

Na segunda etapa, ambos os pareceres são apreciados pelo membro do Comitê Científico do GT de destino da submissão. No caso de pareceres concordantes (S/S e N/N), a consolidação irá considerar os argumentos apresentados quanto aos pontos fortes, as fragilidades e os aspectos que fazem parte dos critérios de avaliação expressos nas normas de submissão. Com base nesses aspectos e argumentos, o Comitê Científico fará o parecer final respeitando as posições dos pareceres da primeira etapa. No caso de pareceres divergentes, o Comitê Científico apreciará esses aspectos e argumentos de ambos os pareceres, porém procedendo nova apreciação do texto submetido e discutindo na comissão da subárea a qual o GT da submissão pertence a situação final (Aceito e Não Aceito) para emissão do parecer final.

Os trabalhos aceitos são divididos entre aceitos para apresentação e aceitos como excedentes, caso o número de aceitos para o GT seja superior a 40, na 40ª Reunião da ANPEd, que terá formato online. Nesse caso, a preferência para apresentação levará em consideração os aspectos apresentados nos pareceres quanto à avaliação do conteúdo e também a maior aderência aos temas priorizados pelo GT a cada edição.

Para a 40ª Reunião da ANPEd, que passou a receber submissões no formato resumo-expandido, as normas e critérios foram rediscutidos  pelo Comitê Científico de forma a possibilitarem uma apreciação justa dos textos submetidos, mantendo como critério, dentre outros aspectos, a consistência dos textos para fomentar os debates nas diferentes áreas e campos da Educação abrigados pelos Grupos de Trabalho em face aos textos nesse formato exigirem maior capacidade de síntese e desenvolvimento redimensionado para o formato.

Será possível, ainda, o envio de texto completo para os trabalhos aceitos que manifestarem a intenção de envio no ato da submissão. A publicação destes será no formato e-book e estará condicionada ao atendimento das normas específicas para texto completo, também disponibilizadas no site. Os resumos expandidos aceitos para apresentação ou como excedente contarão com a publicação regular nos Anais da 40ª Reunião da ANPEd. 

Outra mudança importante para esse ano foi a ampliação do número de Aceitos para apresentação, possível em função do formato online, que viabilizou ampliar o número de sessões de trabalho por se entenderem por um número maior de dias da semana. Com isso, um significativo acolhimento das pesquisas finalizadas e em desenvolvimento, bem como de ensaios adequados às normas e critérios de submissão, foram oportunizadas. Esperamos que essa ampliação possa enriquecer o debate nas diferentes áreas e temáticas em cada GT e também contribuir com o desenvolvimento das pesquisas e reflexões na Educação de forma mais ampla.

Qual a importância da avaliação de trabalhos pelos próprios pares para um encontro como a ANPEd, de caráter associativo?

O processo avaliativo dos textos submetidos à ANPEd reflete o contexto de uma apreciação do conhecimento produzido na área da Educação de forma mais ampla e nos diferentes campos e áreas específicas aos quais os Grupos de Trabalho estão ligados. Por isso se caracteriza por uma apreciação, avaliação e debate na Associação específica dessa área por seus associados. Isso traz para o processo um caráter muito particular que se refere ao debate entre pares, pesquisadores de uma mesma área, envolvidos na produção de conhecimentos ligados ao GT ao qual pertencem e que, portanto, apreciam e dialogam com as temáticas e com as pesquisas com propriedade e interesses mais específicos. 

Além disso, o debate entre pares em si é um fator fundamental no desenvolvimento dos estudos e avanços nos conhecimentos produzidos acerca de temas, metodologias e abordagens em qualquer área científica. Assim, as reuniões da ANPEd e o processo avaliativo que ocorre entre pares com vistas à cada reunião, oportuniza esse movimento na Área de Educação. Tudo isso confere ao processo um caráter formativo singular, que diferentemente de outros eventos importantes e que também contribuem com a área, consiste no respeito às diferentes abordagens, linhas teóricas e metodológicas e na conformação de um panorama das investigações e conhecimentos produzidos em cada GT. Ainda, favorece as redes entre pesquisadores e a produção de outros conhecimentos a partir da mobilização dessas redes e das trocas propiciadas pelo processo, desde a avaliação até às sessões dos GTs e a circulação dos textos nos anais e e-books.

Pular para o conteúdo