Educação Especial em tempos de pandemia do novo coronavírus | colaboração de texto por por Ana Paula Fernandes (GT 15)

por Ana Paula Fernandes (GT 15)

Em tempos de pandemia do Novo Coronavírus (COVID-19) faz-se reflexão sobre o contexto da Educação e Educação Especial. Destaca-se três pontos: 1) a escola, 2) a Educação Básica, e 3) Ensino Superior, Graduação e Pós-graduação, e seus partícipes, aluno e professor.

De acordo com as informações do portal do Ministério da Saúde a COVID-19 é uma doença causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, que apresenta um quadro clínico que varia de infecções assintomáticas a quadros respiratórios graves. (BRASIL, 2020)

Neste novo contexto adiciona-se um acessório que ainda não se sabe por quanto tempo estará no cotidiano social escolar, a máscara, que embora seja utilizada para proteção pessoal e minimizar a propagação do vírus, a mesma traz alguns desconfortos e dentre eles o som abafado para quem emite e a dificuldade de compreensão de quem a escuta, dentre eles a pessoa com deficiência auditiva que por vezes pratica a leitura labial. Tanto o aluno quanto o professor. E ainda, como os intérpretes de Libras atuarão se a tão necessária expressão facial estará limitada pela máscara? 

A organização e a rotina escolar foram construídas e solidificadas em bases teóricas que não contemplavam este tipo de estrutura e precaução pró-vida. Algumas dúvidas surgem: como será o recreio escolar? Na sala de aula, qual será o quantitativo ideal de alunos e professores? 

A educação infantil prima pelo contato físico, como será a atuação do professor para que prevaleça a garantia de saúde? Como as crianças com deficiência que necessitam de atenção mais direta será acolhida na escola? Como será no transporte escolar, ônibus ou barco? Qual o espaço ideal nestes transportes? Como se manterão as relações interpessoais e experiências propícias da escola em tempos de (pós-)pandemia? 

A atual situação evidencia problemas sobre as metodologias entre os pares e também na relação professor-aluno, aluno-aluno, família-aluno e suportes com Educação e outros setores como Saúde e Assistência Social – ditos parceiros da Política de Inclusão. Como ficarão os surdocegos e seus parceiros, intérpretes e guias? A reflexão também se estende às demais pessoas com deficiência que compartilham sua existência em parceria de outros. 

Em relação ao Ensino Superior, aulas, reuniões e bancas de qualificação e defesa de graduação, mestrado e doutorado estão liberadas para que ocorram por videoconferência, mas questiona-se como os professores e alunos com deficiência auditiva usuárias ou não de Aparelho de Amplificação Sonora Individual – AASI conseguirão desenvolver-se em meio a dificuldade de compreensão via tecnologias que não os contempla?

A Portaria Nº 343, de 17 de março de 2020, dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Coronavírus – COVID-19. E ainda, autorizar, em caráter excepcional, a substituição das disciplinas presenciais, em andamento, por aulas que utilizem meios e tecnologias de informação e comunicação, nos limites estabelecidos pela legislação em vigor.

Os recursos comumente utilizados via internet não atendem a todos. A realidade no Brasil é distinta. Experiências na formação de professores no estado do Pará por este meio apresentou resultados negativos e positivos, mas dentre eles poucos se sentem familiarizados com a ferramenta. (FERNANDES, s/d) 

As respostas podem não vir de imediato para estas perguntas, mas a necessidade de alternativas para o ambiente educacional, com ou sem crise pandêmicas, faz-se evidente a fim de garantir condições ideais para todos, profissionais ou alunos.

Referências

BRASIL. Portaria nº 343, de 17 de março de 2020. Disponível em: http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-343-de-17-de-marco-de-2020-248564376. Acesso em: 02 de maio de 2020.

BRASIL. O que é Covid-19. Ministério da Saúde. Disponível em: <https://coronavirus.saude.gov.br/sobre-a-doenca#o-que-e-covid>. Acesso em: 07 de maio de 2020.

FERNANDES, A.P.C.S. Formação Continuada em Educação Especial e a Cooperação Intersetorial (Prelo)

 

 
Pular para o conteúdo