GE Cotidianos – éticas, estéticas e políticas

Apresentação

A expansão temática e metodológica das pesquisas com os cotidianos possibilitam e mesmo exigem espaços específicos em que as perspectivas epistemológicas e políticas que os animam possam ser debatidas e desenvolvidas mais amplamente, em diálogos ainda mais fecundos, em que se combinam suas dimensões éticas, estéticas, poéticas e políticas. Assim, o GE-Cotidianos – éticas, estéticas e políticas origina-se com a intenção de articular procedimentos de pesquisa com os cotidianos que abordem os diferentes ‘praticantespensantes’ e narradores de suas vidas em seus ‘fazeressentiressaberes’ e modos de estar no mundo.

Coordenação

Marcio Caetano (UFPEL)
Coordenador
E-mail: mrvcaetano@gmail.com
Lattes: http://lattes.cnpq.br/2262480943131351

Leonardo Ferreira Peixoto (UEA)
Vice-coordenador
E-mail: leopeixoto.uea@gmail.com
Lattes: http://lattes.cnpq.br/3006297256905004

Histórico

Surgidas no bojo do GT-Currículo, desde o seu início, em especial com as iniciativas dos grupos coordenados por Regina Leite Garcia (In memorian) na UFF, Nilda Alves, na UFF e na UERJ, e Corinta Geraldi na Unicamp, as pesquisas nos/dos/com os cotidianos foram se desenvolvendo em grupos diferenciados que se espalharam pelo país e pelos vários GTs da ANPEd. Em todas as reuniões anuais desde os anos 1990 e, em seguida, nacionais, bem como em reuniões regionais da ANPEd vêm sendo apresentados múltiplos trabalhos por esses grupos.

Os grupos ligados a essa corrente de pensamento na Educação foram também se organizando e articulando em diversas universidades brasileiras, em linhas de pesquisa de seus programas de pós-graduação. A presença desses grupos e linhas nesses ‘espaçostempos’ de pesquisa, ensino e extensão permitiram o desenvolvimento de inúmeros projetos de pesquisa e de extensão financiados para trabalhar nesta corrente de pensamento a que chamamos “pesquisas nos/dos/com os cotidianos”, ou simplesmente, “com os cotidianos”.

Ao longo desse processo, a temática foi se consolidando não apenas em torno dos cotidianos, mas no campo mais amplo das novas epistemologias nas ciências sociais e na educação, bem como no do trabalho com diferentes linguagens e metodologias específicas de pesquisa, indicando a criação de ‘conhecimentossignificações’ com elas no campo da pesquisa educacional e social, sempre como contribuição político-epistemológica que opera simultaneamente, em interação e na consolidação do campo dos Cotidianos e como campos autônomos, que vêm amadurecendo e ganhando as pesquisas em Educação. Essas reflexões múltiplas se enredam e juntas, contribuem e dialogam com o adensamento das reflexões no/do campo de pesquisa com os cotidianos, transcendendo-o e às suas origens, permitindo compreender suas especificidades e demandas. Resultado de ampla produção e atuação, na Assembleia Geral da 40ª Reunião Nacional da ANPEd, após pedido feito por meio de abaixo assinado com mais de 100 assinaturas de associadas/os e anuência de Comissão instituída pela Diretoria da Associação, foi votada e aprovada por unanimidade a criação do GE-Cotidianos – éticas, estéticas e políticas.

Documentos

ALVES, Nilda. Práticas pedagógicas em imagens e narrativas – memórias de processos didáticos e curriculares para pensar as escolas hoje. São Paulo: Cortez, 2019

ANDRADE, Nivea; CALDAS, Alessandra Nunes; ALVES, Nilda. Os movimentos necessários às pesquisas com os cotidianos – após muitas conversas acerca deles. In OLIVEIRA, Inês Barbosa de; PEIXOTO, Leonardo Ferreira; SUSSEKIND, Maria Luiza (orgs). Estudos do cotidiano, currículo e formação dicente: questões metodológicas, políticas e epistemológicas. Curitiba: CVR, 2019.

AUAD, Daniela; SEPULVEDA, Denize. Relações de Gênero e Sexualidade no Brasil: desafios interseccionais e justiça para mulheres negras e LBT`s. ACENO – REVISTA DE ANTROPOLOGIA DO CENTRO-OESTE, v. 9, p. 187-202, 2022.

BARBOSA, Inês. Pesquisando com os cotidianos: uma trajetória em processo. Petrópolis/Rio de Janeiro: DP et Alii/FAPERJ, 2023.

CAETANO, Marcio.; CASTRO, Amanda Motta.; SANTOS, Luciane Tavares dos. Educação, Movimentos Sociais & Utopias.  Curitiba: CRV, 2021.



Pular para o conteúdo