Mais de dois mil pesquisadores solicitam à Capes adiamento da avaliação quadrienal de PPGs no contexto da pandemia

Mais de dois mil pesquisadores de todas as áreas do conhecimento, ligados a programas de pós-graduação (PPG) reconhecidos pela CAPES, enviaram nesta segunda (12) carta aberta ao presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de nível Superior, Benedito Guimarães Aguiar Neto, solicitando adiamento da avaliação quadrienal dos programas no contexto atual de pandemia - dentre os signatários do documento estão 975 coordenadores de PPGs. 

A carta expõe de que forma a pandemia afetou drasticamente o cotidiano de pesquisadores e programas, com aumento de carga burocrática, dificuldades técnicas e de preservação da própria vida - exemplo disso é o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), que teve nove docentes e três técnicos administrativos educacionais mortos pela COVID-19 no início deste ano. A solicitação pede que a avaliação quadrienal ocorra com prazo para março de 2022.

A demanda segue como uma pressão para o próximo presidente da agência, cujo nome ainda não foi anunciado após exoneração de Benedito Guimarães Aguiar Neto pelo MEC nesta segunda (12).

Confira a carta completa na sequência e clique aqui para acessar o documento com todos os 2238 signatários.

CARTA ABERTA - PELA EMPATIA E PELA VIDA

São Paulo, 12 de Abril de 2021

Ao Professor Doutor Benedito Guimarães Aguiar Neto, Presidente do CAPES e do CTC-ES

Senhor Presidente,

os pesquisadores abaixo-assinados dirigem-se a Vossa Senhoria para expressar enorme preocupação diante das consequências para vida da atual situação que o país atravessa. O mundo e o Brasil vivenciam a pior crise sanitária da história recente. Atualmente, alcançamos mais de 3 milhões de mortos por Covid-19 no mundo, doença declarada pandêmica há pouco mais de um ano. No Brasil, somente em março tivemos cerca de 65,000 mortes devido à doença, com previsões de mais de 560 mil mortes até 01/07/2021 (https://covid19.healthdata.org/brazil? view=daily-deaths&tab=trend). A despeito das diferentes visões políticas, deveríamos estar unidos por uma empatia espontânea. A pandemia afetou profundamente os parâmetros da vida em sociedade e terminou por suspender a cotidianidade como vivência compartilhada presencialmente.

A pandemia também impôs grandes dificuldades ao fazer acadêmico, tornando as atividades de ensino, pesquisa e extensão mais complexas do que o que estávamos acostumados. Além das novidades e exigências do ensino remoto e do distanciamento, destacamos a incerteza, a angústia e a depressão, que têm avançado a passos largos entre professores, pesquisadores e cientistas, tanto pelo medo de tudo o que representa a Covid-19, como pela própria vivência da doença, das perdas, da dor e do luto.

Com as rotinas de trabalho afetadas por tais condições, o impacto é evidente: dificuldades em cumprir tarefas, preocupações e, especialmente, o sentimento de que cuidar da vida é essencial nesse momento. O atendimento das demandas burocráticas com vistas à avaliação da pósgraduação passou a impor um desafio praticamente intransponível para muitos Programas e Instituições, no momento em que a defesa da vida passa a ser tarefa prioritária dos acadêmicos e pesquisadores brasileiros. Cabe lembrar o caso do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), que teve nove docentes e três técnicos administrativos educacionais mortos pela COVID-19 no início deste ano. Assim, vimos solicitar a Vossa Senhoria, o adiamento do prazo referente ao Coleta-CAPES para a avaliação quadrienal da Pós-graduação para março de 2022. Esperamos que, a partir de sua formação acadêmica e experiência na gestão de prestigiosa instituição de natureza confessional, e da força dos argumentos acima elencados, Vossa Senhoria aceite o adiamento solicitado que, além de consequências positivas para a gestão da pós-graduação, expressa posição humanitária, de empatia e comprometida com a defesa da vida.

Cordialmente, assinam 2238 pesquisadores de todas as áreas do conhecimento, ligados a programas de pós-graduação (PPG) reconhecidos pela CAPES. Dentre esses, temos 975 coordenadores de PPGs. 

Leia Também

Institucional

Educação

Institucional