WERA promove, em conjunto com a ANPEd, encontro internacional na cidade de João Pessoa em 2025

O Focus Meeting WERA 2025, da World Educational Research Association, será realizado em João Pessoa (PB), paralelamente à 42ª Reunião Nacional da ANPEd.  A decisão foi anunciada em reunião da diretoria e do conselho da WERA em Filadélfia, Estados Unidos, na última segunda (15/4), no contexto do encontro anual da American Educational Research Association (AERA).

A ANPEd faz parte do Conselho da WERA, representada pela presidenta Miriam Fábia Alves.

O Focus Meeting WERA 2025 deverá reunir em João Pessoa pesquisadores e representantes de organizações de várias partes do mundo. “A realização de um evento desse porte no Brasil fortalece a inserção internacional da ANPEd e possibilita o estabelecimento de novos laços, redes de pesquisa e de comunicação no Brasil e no mundo”, prevê Miriam.

Para ela, a participação da ANPEd na organização internacional representa um importante espaço de visibilidade para a associação, resultante do trabalho realizado ao longo dos últimos anos por Andréa Gouveia (ex-presidente da ANPEd e ex-integrante do Conselho da WERA) e Geovana Lunardi, que deixou a presidência da ANPEd em dezembro e é vice-presidente da WERA.

Os detalhes sobre formato do evento e a programação do Focus Meeting serão divulgados nos próximos meses. Possivelmente, as atividades serão, em parte, simultâneas à 42ª Nacional da ANPEd.

A 42ª Reunião Nacional da ANPEd será sediada na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em data ainda a ser definida.

Simpósio

A WERA realizou um simpósio durante o Encontro Anual da AERA, que enfocou as tendências atuais da pesquisa em educação, além dos desafios e aspectos positivos em diversos países e regiões do mundo no complexo contexto do pós-pandemia.

Representando o Brasil, Geovana Lunardi fez uma palestra sobre as tendências e perspectivas da pesquisa na área da educação no país, chamando a atenção para os desafios impostos pelo legado da pandemia, as profundas desigualdades e os desmontes praticados durante o governo Bolsonaro.

Apesar desse cenário, ela enfatizou o processo de recuperação do Estado democrático no Brasil, com a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva, o que têm possibilitado construir – e reconstruir – agendas de pesquisa capazes de contribuir para potencializar a educação no Sul Global.

Ela chamou a atenção ainda para debates que têm ganhado mais força e visibilidade no Brasil, como a implementação de políticas educacionais que assegurem mais equidade e garantam o direito à educação de todas/os/es, o desenvolvimento de métricas e sistemas de avaliação que levem em conta as características dos países do Sul Global e uma agenda de pesquisa em educação que leve em conta a emergência climática e o desenvolvimento sustentável, entre outros.

Pular para o conteúdo