Nota ANPEd | O que ainda precisamos dizer sobre a BNCC do ensino médio?

“Atordoados permanecemos Atentos”[1]: o que ainda precisamos dizer sobre a BNCC do Ensino Médio?

O Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou nesta terça-feira, 04 de dezembro, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o Ensino Médio com 18 votos a favor e duas abstenções. Consolida-se, com isso, o conjunto de reformas instituídas para o Ensino Médio, iniciadas com a Medida Provisória 746/16 e seguidas pela aprovação da Lei 13.415/17 e da Resolução CNE/CEB 11/2018 que institui as Diretrizes Nacionais para o Ensino Médio (DCNEM). O conjunto destas reformas foi alvo de várias Manifestações de Repúdio coletiva e documentos de análise, de diferentes Associações Científicas, entre elas a ANPEd, e publicadas no nosso Portal.

Nesta mesma direção, a Diretoria da ANPEd gostaria de mais uma vez expressar nossa preocupação e indignação com a aprovação desta BNCC, diante de um percurso que teve como marca: audiências públicas interrompidas, criticas severas de especialistas em diferentes áreas e de conselheiros do próprio CNE, ausência de diálogo com as associações científicas. É atordoante ver um país assumir reformas educacionais e políticas educativas, contrárias ao que os especialistas da área indicam como as mais adequadas e desinteressado pelo diálogo com seus cientistas e sociedade civil organizada.

Seguiremos atentos na análise dos desdobramentos dessa reforma e firmes na resistência cotidiana.

[1] Livre adaptação e referência ao verso da canção “Cálice”, escrita em 1973 por Chico Buarque e Gilberto Gil, censurada pela ditadura e lançada apenas em 1978.

 

Leia Também

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Educação