Nota de Repúdio da ANPEd contra a repressão e por Diretas Já

A Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd) repudia a repressão policial sofrida por trabalhadores, trabalhadoras e estudantes que se reuniram em Brasília no dia de ontem, 24 de maio, para protestar contra as reformas encaminhadas ao Congresso Nacional pelo, ainda, Presidente Michel Temer. A ação isolada de grupos que se confrontam com as forças policiais não pode servir de pretexto para o impedimento do direito constitucional de reunião e manifestação.

A manifestação democrática organizada por centrais sindicais e movimentos sociais tinha como objetivo também afirmar a necessidade da realização de eleições Diretas para Presidente da República.

Foto: Mídia Ninja.

A ANPEd apoia a proposta das “Diretas Já” reconhecendo-a como sendo a única alternativa que pode permitir que o Brasil saia da crise política em que mergulhou após o golpe institucional de 2016.

Nesta mesma oportunidade repudiamos, também veementemente, o decreto presidencial que convocou as forças armadas nacionais com o pretexto de “garantia da lei e da ordem”. A medida, contrária ao Estado Democrático de Direito, ativa a triste memória da Ditadura Militar e nos dá um sinal de alerta de que a Democracia no Brasil encontra-se em risco.

A ANPEd conclama seus associados e associadas para que participem das atividades  de ocupação das ruas e debates para que a solução da crise não se encontre novamente em “acordos de elites”, mas que a soberania popular possa ser exercida pelo voto democrático. É neste sentido que reafirmamos nossa convicção por “Diretas Já”.

Diretoria da ANPEd

25 de maio de 2017

Leia Também

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd